domingo, 14 de setembro de 2014

NOTAS SOLTAS!




A saga "Bancária/ Banqueiros"continua, demissões novos protagonistas, a mesma "desgraça" que caíu sobre um País já altamente martirizado!
É incrível como todos os políticos "alinharam" na bitola de defesa do grande capital. O povo à míngua, mas dinheiro para os Bancos aparece de imediato! Pode morrer gente por falta de assistência (válvulas) imagine-se!!! Entre outras carências de toda a ordem, mas para o grande Capital... APARECE SEMPRE DINHEIRO!!!
Enquanto o povo continuar adormecido, tudo piora a olhos vistos!!!


Marinho e Pinto fez um golpe de teatro! Acopolou-se, encostou-se, serviu-se do MPT nas ultimas eleições europeias, ganhou um lugar no Parlamento Europeu e hélas! Cospe no prato onde comeu! Já não quer nada com o MPT, só quer continuar no Parlamento Europeu, porque é pobrezinho e necessita pagar as propinas da filha!Entretanto vai arrancar com um partido novo! Será que os portugueses têm dúvidas àcerca deste figurão? Ou, já viram o "filme" todo? Eu já tinha visto há muito tempo... Mais um dos que têm pés de barro!


Na Figueira da Foz há falta de humildade e de simpatia e mesmo de eficácia em muitos setores da governação autárquica. Desde logo uma certa "arrogância" para com todos os eleitos. Não vou aqui explanar o que tenho ouvido e que reputo de uma certa gravidade. A Assembleia Municipal é um dos orgãos mais importantes da democracia de uma Câmara, mas parece que quem detem o poder não pensa assim... 
O Verão dizem uns, foi um sucesso. A restauração parece estar satisfeita.  Os concessionários de toldos e barracas, os comerciantes em geral, as condições lúdicas que a cidade oferece, o turismo de qualidade, falhou e falhará sempre que sejam estas as opções. Pobre, muito pobre, provinciano mesmo. Salva-se o Casino que parece ter descoberto a maneira de chamar gente àquela nobre casa de espetáculos. Muito embora o jogo ande fracote, o resto parece estar a ter cada vez mais sucesso.

Duelo Costa vs Seguro... António José Seguro fez de tudo um pouco para degradar o debate a que assistimos. Desde chamar traidor, oportunista, sede de poder, não fazer nada, não ter ideias, estar à janela do município, VALEU TUDO!!!! E o povo cansou-se. Se no primeiro debate foi audiência farta, no segundo debate já não tiveram o mesmo score. As pessoas estão fartas de debates sem nível, de agressões verbais, de falta de ideias, de calimeros. As pessoas querem debates sérios e direcionados para o momento trágico que o país atravessa...
Não promessas vãs, não programa de governo nesta altura do campeonato ( rídiculo). A europa está em convulsão crescente, o mundo muda a cada dia que passa e AJS já tem as fatídicas 80 medidas de governação caso seja eleito! 
Haja paciência. Costa, por seu lado, ficou espantado com o "chorrilho" de ataques, com a apoplexia de Seguro e lá foi balbuciando alguma coisa, tendo-se saído muito bem no 2º debate.

Elevem a fasquia meus senhores! Falem dos problemas reais, não de promessas que podem não cumpritr. Mas, podem muito bem dizer, o que nunca fariam na governação. Há limites para tudo!

Moderem-se e exerçam  um discurso didático e coerente. Nós, agradecemos!

Estas as minhas NOTAS SOLTAS!

30 comentários:

  1. Bom texto, parabéns. O Calimero deu-lhe a louca, o homem está possesso, já nem sabe o que diz, que espetáculo degradante. Claro que o António costa, que não desce ao nível dele, tinha que ficar sem palavras perante aquele chorrilho de disparates. Por cá é a miséria que se vê, só carnavais, piratada, outros espetáculos para a cachopada. Vão aprender com Braga, Viseu, Lisboa, etc. Os membros da Assenbleia são verbos de encher, só prestam para pôr a mão no ar. E o Caracolões é um gajo execrável, só o juiz é que não vê ou interessa-lhe a guerrilha e a desunião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão por cá a malta do ps está a ver a banda passar a cacicagem tem tudo controlado.
      Lacaios e lambe botas dão conta do recado.
      Vendidos que não olham a meios para atingir os seus fins.
      Marionetas de um circo onde reina a falta de honestidade.
      Traidores que apunhalam os amigos pelas costas a soldo de uns miseros euros.
      Perdoai-lhes sr. que não sabem o que fazem.
      Ou será que sabem?

      Eliminar
  2. Bom, parabéns! Eu acho que o António José Seguro me merece mais confiança. Voto Seguro.

    ResponderEliminar
  3. Espero que finalmente nas próximas eleições possamos ver o João Paredes e o João Portugal á frente dos destinos da Câmara Municipal da Figueira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. seria uma coisa muito engraçada

      Eliminar
    2. O João Portugal ???? então ele não virou costas à Figueira e mudou-se de armas e bagagens para Lisboa???? O Paredes?????? enlouqueceram????

      Eliminar
  4. Depois de assistir ao 2º debate, não tenho dúvidas, voto António José Seguro.

    ResponderEliminar
  5. Enquanto os PS's andam a brincar às eleiçóes o Desgoverno está em roda livre. Mais um caso insólito que vai para a frente: Escola inaugurada em junho já não abre em setembro. Custou 100 mil euros (Renascença)
    A escola é nova, mas só funcionou durante uma semana. Os alunos da aldeia de Monsanto vão ter de fazer uma viagem diária de 50 quilómetros para aprender a ler e escrever. ESTE PAÍS ESTÁ DE LOUCOS. Nunca sairá da cepa torta. Portugal tem gente insana ao leme.

    ResponderEliminar
  6. Não há dinheiro para nada mas para os ladrões há! E ainda por cima andam todos aí à solta, os piores até se passeiam e vão a festas na nossa cara. Mas isto é admissível num país dito democrático?

    ResponderEliminar
  7. Então e a Ministra da Justiça?? Suspendeu o estado de direito em Portugal, ao impôr o novo mapa judiciário, prejundicando populações e com uma total impreparação operacional. Os agentes judiciários, estáo impedidos de trabalhar há semanas!!!
    Cheira-me uma encomenda para a prescrição de alguns processos, no fim far-se-á o balanço destes casos!!!


    ResponderEliminar
  8. Muitos parabéns ao bloguista

    ResponderEliminar
  9. O que é que os camaradas dizem da lista do PS às intercalares de S.Pedro?
    Os independentes do LISP há menos de um ano serviram para apoiar o Miguel Almeida e anteriormente já tinham apoiado o Duarte Silva.
    Agora não se importam de envergar a bandeira do PS e os responsáveis locais do PS aceitam isto como normal?!
    Mas onde está a coerência, meus caros?

    ResponderEliminar
  10. Parabéns ao climático! Desta vez não andou ao serviço do governo, nem da Ministra da Justiça, se não .. lá tinhamos perdido o tribunal!! Este rapaz tem sido especialista em delapidar o nosso bem estar, em troca do bem estar dele próprio!! Tem sido essa a sua história na política!!!

    Ainda vou gostar de vê-lo a fazer campanha na gala, ao lado da gordinha guida que recolhe o voto dela própria!!

    Mais um derrota anúnciada!

    ResponderEliminar
  11. Pois eu voto ANTÓNIO COSTA, para enfiar uma sarabanda das grandes nestes neoliberais da tram...a. O Seguro já mostrou o que vale e por isso mudo o meu voto. ´Bora votar Costa.

    ResponderEliminar
  12. Caro anonimo das 16.46 você sabe o que é ser independente?
    ou é daqueles que votam onde lhe ordenam?
    Só os burros é que não mudam já vi que você não muda.

    ResponderEliminar
  13. Ao anonimo das 16.48.
    Olhe desde que vi alguem em cima de uma camioneta a protestar contra o novo hotel e agora é dos primeiros a apoiar já nada me admira.

    ResponderEliminar
  14. Quero lembrar ao anonimo das 16.46 que tanto quanto sei foi o miguel almeida que apoiou a lisp e não a lisp que apoiou o miguel almeida.
    Quero tambem dizer-lhe que a isto chama-se liberdade independencia e democracia que é votar e apoiar quem na altura achamos que nos pode garantir melhor governamentação.
    Independencia quer dizer: NÃO ESTAR AMORDAÇADO A NENHUM PARTIDO.
    Independência é votar e apoiar em quem nos apetece e não em quem os partidos nos obrigam.
    Por isso é que há pessoas que ás vezes votam ps outras psd e até cdu a isto chamo independencia liberdade e democracia.
    Quanto á incoerêcia o ps e o psd são mestres nessa matéria.
    Passe bem

    ResponderEliminar
  15. O anonimo das 16.46 deve ser algum politico de aviário algum lacaio que só vota onde lhe mandam.
    Deve ser algum subjugado que na politica apenas cumpre ordens do partido.
    Como este há muitos, marionetas simples peças decorativas no panorama politico do País.
    Pessoas sem vontade própria autenticos tapetes dos caciques e interesses partidários cuja missão é servir de capacho para que os lideres politicos possam limpar os pés.
    Escumalha vendida que só emporcalham a classe politica.
    Os valores da liberdade e democracia vão muito alem do que a subjugação aos partidos.

    ResponderEliminar
  16. Há gente que depois de fazer a porcaria que fez na cidade devia ter vergonha de vir para aqui com moralismos e arrotando postas de pescada .
    Por acaso não haverá aí uma pontinha de dor de corno?
    Já agora um conselho ao anonimo das 16.46 tome um compensam vai ver que fica melhor se não der resultado tome um xanax se mesmo assim nao ficar melhor consulte o seu médico de familia.
    Estimo as suas melhoras.

    ResponderEliminar

  17. O anonimo das 13.31 e da 15.06 têm razão.
    Por isso a merd………. que esta nos partidos passou a ir buscar supostos independentes que vão em qualquer lista, desde que vão, hoje pelo ps amanha pelo psd.
    No fundo a tra…pa é a mesma o cheiro é que é diferente.
    Basta olhar para o que se passa em algumas freguesias do concelho.
    Quem não se revê na tra….pa forma listas independentes sem apoio partidário o resto são tretas.
    Nota: vemos bem a figura dos independentes na assembleia municipal.
    Basta ver o que disseram a 4 anos. Afinal o que mudou?
    Desta miséria esta a figueira cheia.

    ResponderEliminar
  18. Hoje o Tavares vai apresentar o livro As Palavras que me hão-de guiar um dia. Serão as da linha do Oeste?

    ResponderEliminar
  19. O mal deste País é a maioria das pessoas terem umas palas como os burros e só olharem num sentido estão subjugadas e amordaçadas pelos partidos e comem tudo que lhes poem á frente.
    São teimosas casmurras não querem mudar e votam sempre e apoiam sempre os mesmos.
    Não vejo mal nenhum que hoje se apoie um partido e amnaha se apoie outro só os burros é que não mudam.
    Parabens ao blog a Figueira e os democratas agradecem a qualidade.

    ResponderEliminar
  20. Recordo ao anonimo das 00.49 que o presidente da camara é independente.
    Será que se esqueceu?

    ResponderEliminar
  21. Esta senhora não devia ir para a rua?????? Não é isto incompetência????
    "Na minha página do Citius tenho zero processos. Devo ser uma juiz cheia de sorte." A ironia é de Maria José Costeira, magistrada do Tribunal de Comércio de Lisboa que, tal como todos os seus colegas, advogados e funcionários judiciais, continua sem acesso aos processos judiciais antigos, os 3,5 milhões que estão pendentes nos tribunais portugueses e que estão perdidos algures no sistema informático, o Citius. Segunda-feira, o primeiro parágrafo do comunicado do Ministério da Justiça chegou a lançar uma esperança ao garantir que "o sistema passa a estar completamente operacional". Mas não... O programa segue dentro de anos para recuperar tudo... E as prescricões???????

    ResponderEliminar
  22. Num país europeu decente, isto não teria cabimento e muito menos enterrar dinheiro que é de todos nós. Pura e simplesmente o governo não deveria ter posto lá dinheiro até porque já havia antecedentes e deveria ter-se aprendido com o que se passou com o BPN. Este é muito, muito pior...Os acontecimentos dos últimos meses em torno do BES e depois do Novo Banco têm-se sucedido a um ritmo alucinante. E as demissões e saídas já foram mais do que muitas.

    ResponderEliminar
  23. Os 'foros populistas tão em voga' na Europa estão a fazer uma entrada ruidosa em Portugal. Curiosamente, vêm pela mão, entre outros, de quem, ainda em 2007, apelidava a proposta de redução de deputados como... um foro populista. Temos, aliás, a agradecer a António José Seguro a elaboração de um relatório que prova como a relação entre o número de deputados e a população está bem dentro da média europeia. Na verdade, em Portugal, cada um dos 230 eleitos representa 42.406 eleitores, bastante mais que a média da Europa a 28, que é de 1 para 34.133. Mais razão para António José Seguro de 2007.

    Pena é que o secretário-geral do partido socialista tenha mudado de opinião e que venha propor agora a redução de 230 para 181 deputados. A medida só tem dois resultados. O primeiro é o reforço do carrossel do centrão, com a diminuição da pluralidade política, das vozes divergentes dos pequenos partidos. O segundo é a perda de representantes provenientes das zonas do interior.

    Em abono da verdade, embora de carácter menos populista, admita-se, esse será também o resultado prático da transformação do sistema eleitoral proporcional português em círculos uninominais, como parece propor António Costa. Em ambos os casos, perde a democracia.

    De qualquer das formas, a fórmula populista que permitiu a Marinho e Pinto eleger-se, e a mais um representante do Movimento Partido da Terra, parece estar a fazer caminho em outras áreas do sistema político português. Compreende-se. O antigo bastonário foi mestre na mais fina arte populista: a caça ao voto com o tiro aos políticos. O que é surpreendente nesta história é que Marinho não tenha sequer aguentado 3 meses sem se revelar, ele mesmo, a mais perfeita representação dos políticos que caricaturava.




    ResponderEliminar
  24. O primeiro foi Ferro Rodrigues, seguiram-se-lhe Jorge Lacão, Vieira da Silva, Alberto Costa, numa lista que foi crescendo com intervenções de deputados socialistas contra a proposta apresentada por António José Seguro para reduzir para 181 o número de deputados na Assembleia da República. A reunião do grupo parlamentar do PS, durante a manhã, ficou marcada por uma "esmagadora maioria" (nas palavras de Lacão) de vozes contra, todas de deputados apoiantes de António Costa, que destruíram tanto a forma como o conteúdo da iniciativa assinada por Seguro e pelo líder parlamentar Alberto Martins - uma proposta de deliberação (não uma proposta de lei) para que o Parlamento abra uma discussão sobre a reforma da lei eleitoral, avançando como ponto de partida a tal redução para 181 cadeiras.

    Ferro Rodrigues, numa intervenção classificada por quem assistiu como "duríssima", que "arrasou por completo" a proposta de Seguro, disse mesmo que esta é uma "vergonha". Também Alberto Costa usou essa expressão: disse que a iniciativa de Seguro "envergonha" o PS e os socialistas, e é "um exercício não sério", pois não visa mudar, de facto, o sistema eleitoral, mas ser usada como trunfo na disputa interna do PS. "Os passos dados agora têm de voltar atrás", vaticinou Alberto Costa, considerando que a proposta de Seguro é "fictícia".



    ResponderEliminar
  25. http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2014-09-20-Marques-Mendes-diz-que-Seguro-nao-esta-interessado-em-reduzir-o-numero-de-deputados

    ResponderEliminar